Horário de verão termina, mas energia solar fotovoltaica é saída para continuar a economia

No próximo domingo, 19 de fevereiro, termina o horário de verão. Adotada no Brasil desde 1931, essa medida tem como objetivo principal a redução no consumo de energia no horário de pico (das 18h às 21h), além de conscientizar a população em relação ao melhor aproveitamento da luz natural. Nos últimos dez anos, o horário tem possibilitado uma redução média de 4,5% na demanda por energia no período de maior consumo e uma economia absoluta de 0,5%, o que equivale, aproximadamente, ao consumo mensal de energia de uma cidade como Brasília, com 2,8 milhões de habitantes.

Mas você já pensou que essa luz natural existe em nosso país, praticamente, todos os dias? Por que não ter, então, uma economia de energia nos 365 dias do ano e não apenas nos meses de calor? Bacana, não é mesmo?

Veja abaixo como conseguir isso.

Energia solar fotovoltaica: fonte promissora de energia

A energia solar é hoje umas das fontes de energia elétrica mais promissoras e que recebem mais investimos no mundo. Dados da Bloomberg New Energy Finance mostram, entre algumas tendências para 2017, que os custos do sistema de energia solar devem cair em pelo menos 10% e que é o recurso que recebe mais investimentos na atualidade.

grafico_investimentosenergiasolar

O motivo é simples: em 30 anos teremos que dobrar a produção de energia do planeta e não temos recursos suficientes para isso, que não seja por meio de energias limpas como a energia eólica ou a solar. Além disso, as exigências internacionais por menos emissão de carbono são cada vez maiores e a energia solar pode proporcionar esse benefício.

Fernanda Morra, de Holambra (SP), já entendeu essa necessidade e comenta o porquê de sua decisão. “Por duas razões: sustentabilidade, já que aqui em Holambra temos sol quase todos os dias. Então por que não aproveitar essa energia disponível e que é de graça e limpa? Além disso, o sistema se paga em torno de cinco anos e, ainda, valoriza seu imóvel”, aponta.

Para os que moram em condomínio, a instalação de um sistema de energia solar fotovoltaica é também uma ótima opção para torná-lo mais sustentável e, principalmente, para quem está realizando cálculos de como economizar no dia a dia. Segundo especialistas, a energia elétrica é o segundo item que mais impacta no valor da taxa condominial, depois das despesas com mão de obra – de 10% a 17% do custo condominial. A energia solar fotovoltaica pode reduzir esse impacto, uma vez que reduzirá os custos com energia elétrica em até 95%.

Detalhes da instalação

Faça os cálculos da economia

Veja o quanto você consegue economizar ao instalar um sistema de energia solar fotovoltaica:

Se sua conta de energia for de R$ 300,00 todos os meses, para ver como o sistema de energia solar fotovoltaica compensa financeiramente multiplique esse valor por sete anos. Ou seja, aproximadamente R$ 21 mil. Pense que o investimento inicial de um sistema fotovoltaico é bem próximo desse valor, mas que, após esse início, você terá 100% do retorno de investimento dentro dos mesmos sete anos, e ainda estará livre dos aumentos abusivos por mais de 25 anos, tempo médio de vida útil dos painéis fotovoltaicos.

Mas será que minha casa recebe luz solar suficiente para gerar energia elétrica solar?

Com certeza, sim, e pode acontecer até de sobrar a energia produzida. A questão, portanto, é: o quanto minha casa consegue gerar de energia?

A equipe de engenheiros da EBES – Empresa Brasileira de Emergia Solar são capacitados para estimar o potencial de sua casa para a geração de energia elétrica e o tempo de retorno do investimento. Após a avaliação do local, eles projetam a instalação que mais produzirá energia com o menor custo possível para cada tipo de residência/empresa.

Viu como é simples? Solicite agora seu orçamento sem compromisso para começar a gerar sua própria energia e economizar também na conta de luz o ano todo.

 

 

 

Peça seu orçamento!